...minha escrita até pode ser autodidata,
mas está bem longe de ser autobiográfica...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

[ ]


[Entre duas paredes]


[F]
[U]
[J]
[O]

[Uganda]
[Pasárgada]
[Aruanda]

[V]
[O]
[U]

[Para onde eu não me possa encontrar]


***


“Só preciso de certas doses de silêncios, muitos
ventos e alguns dias de férias de mim.”



Maria Rita

9 comentários:

Sandra Botelho disse...

Sair sem rumo nem destino e simplesmente viver...beijos achocolatados

Paulo Francisco disse...

Ok! vou ficando por aqui, num silêncio absoluto, vendo você partir.
Adorei a construção!!! ou seria a desconstrução?
Não importa, só sei que é belo.
Um beijo grande.

Guará Matos disse...

Mas deixa uma dica
Lhe procurarei
Pois não sei o que fazer
Com minha saudade

Bjs.

Renata Fagundes disse...

a gente tira férias, se acomoda no silêncio e o coração não nos deixa dormir em paz.


beeeeeijo Maria Rita queridaaaa

Marinha disse...

Fugir de si mesma é difícil e doído. Fizeste-me refletir, Maria!
Bjo e paz.

Mirez disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirez disse...

Seus poemas cativaram-me,
simplesmente inspiradores.
Há pouco tempo criei um blog,
dediquei uma página aos
poemas que me emocionam,
escolhi alguns dos seus
(com os devidos direitos autorais).

Que seu talento siga
tocando almas pelo mundo.
=)

Thomas Albuquerque disse...

coincidências da vida poetica rsr

que bom que apreciou.

beeijos

Michele P. disse...

Maria Rita

E é neste mundo paralelo que nos (re)criamos.
Lindo!

Um abraço