...minha escrita até pode ser autodidata,
mas está bem longe de ser autobiográfica...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

auSENTE...


Depois de olhar com olhos de ver...


Subitamente minha conexão com o mundo caiu, só conseguia ouvir meus pensamentos que de tão intensos me fizeram seguir de maneira automática o caminho de volta pra casa.

Precisava voltar, não apenas para o meu lar, mas também para o meu corpo, para a minha vida e para os sentimentos que naquele momento resolveram debandar.

Não conseguia sorrir, nem chorar e até as palavras me faltaram [fato raro], juro que tentei sentir alguma coisa, mas só havia um “nada” que gradualmente me tomava.

Foi assim que a razão me explicou coisas que até então não compreendia, evidenciou outras tantas que por medo eu fingia que não via e pouco a pouco tudo foi adquirindo uma clareza tão grande que parecia não ter fim, quanto mais aquele “nada” interno percorria as minhas veias mais eu percebia o quanto estava ausente de mim!





“Se um dia me arriscar num outro lugar,
hei de levar comigo a estrada que não me deixa sair de mim.”

(Mia Couto)





Maria Rita




17 comentários:

Sandra Botelho disse...

Tão triste, porem tão lindo...
Bjos achocolatados

Monique disse...

Maria Rita,
fiquei muito feliz com sua visita ao meu blog há um tempo atrás mas só agora pude visitar o seu. Porém, adorei o jeito como você escreve. Parabéns!

Beijos,
Monique.

ƸӁƷBeautiful Butterfly WomanƸӁƷ disse...

Que profundo...!!amei!!tenhas uma semana cheia de amor...beijos queridaaa!!

Ana SS disse...

Escrever com a alma. Lindo!

Pérola Anjos disse...

Os nossos vazios pesam e quanto mais nos afastamos de nós, pesam mais.

Beijos e que o seu vazio preencha-se com amor e verdade!

rívea duarte disse...

Maria Rita,

texto maravilhoso! É um estar e não estar, um sentir e não sentir, é um estar aqui e não estar .. . E foi neste caminho que me encontrei nos meus pensamentos, nos meus desejos e vontades que foram ficando pelos caminhos da vida. Mas há um momento em que encontramos esses desejos e vontades que nos faz renascer e viver a cada diaaa!

Uma semana de reencontros e sorrisos largos, minha querida!

Um beijo afetuoso,
,)

Paulo Francisco disse...

Lindo! Belo! Sensibilidade pura. Li alto, escutei teus versos...CHEGA!!!!!!!! Você já sabe que sou fã de seus textos.
Um beijo no coração!!!
Já passa da meia noite... Vou ler mais uma vez...

Renata Fagundes disse...

sei que é inevitável essa conversa com a razão, mas como já disse...

minha emoção se esconde da razão pra não ouvir sermão..rs

beeeeeeeeeijo querida Maria Rita

eupoeta disse...

(suspiro)

Caramba! De perder o fôlego essa leitura.

Intensa, como a chamada do blog: "Como se encontrar sem nunca se perder?"

Engraçado como o tudo significa tão pouco e muitas vezes o nada é tudo que temos não é mesmo?

Adorei.


Beijos

Du

Malu disse...

É melancólico , mas
não menos belo ...



BjO de uma Tarde Serena ...

Cadinho RoCo disse...

Existem momentos em que, literalmente, somos chamados por nós mesmos.
Cadinho RoCo

Déia disse...

Se perder de vc mesma é um dos piores sentimentos e o vazio dói como navalha!
Que vc se ache!
bj

Teresa Cristina disse...

Oi Maria Rita, esses momentos do caminho de volta para nós mesmos nos revigoram e promovem a paz com a gente mesmo. Muito obrigada pela visita no acolher com amor. Volte sempre que quiser. Gostei mto do seu blog, sigo-te. bjus

Sil.. disse...

Maria Rita,

Muitas...muitas vezes me afstei de mim também.
Hoje não o faço mais.
A gente tem que saber sempre a nossa importância a nós mesmos.
A trancos e barrancos eu aprendi.

Lindo seu blog, e lindas as suas palavras!

Um grande abraço meu!!!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Os olhos de ver são o coração. E quando enxergamos as coisas com o coração, percebemos o quão alheados estamos de nós. É uma sensação ruim, que aos poucos passa, com o reencontro com o nosso verdadeiro eu.
Belo texto*
Beijos, querida
Renata

Daniel disse...

É no meio do nada interno que a gente sobe um degrau para a maturidade.

O tempo resolve tudo quando não conseguimos resolver, basta ter paciência.

Obrigado pela vista em meu blog, espero que volte mais vezes. Vi que temos em comum ler o blog da Luna.

Volte sempre. Voltaria aqui também.

Daniel

gabriela marques. disse...

Perder de si mesma? Queria conseguir fazer isto algumas vezes... Fugir de si deve ser complicado, mais ainda quando não se encontra o caminho de volta.